foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

Alentejo2020

Portalegre: vocalista dos UHF alerta para violência no namoro com relato de 9 anos de stalking

A imagem pode conter: 10 pessoas, pessoas sentadas

O fundador e vocalista dos UHF afirmou, esta terça-feira em Portalegre, que a violência no namoro está a assumir dimensões graves, reforçando a ideia de que a juventude deve aprender a viver em harmonia para que não se repliquem casos de stalking, a designada perseguição obsessiva de que António Ribeiro foi vítima durante nove anos. 

 

António Ribeiro falava, esta terça-feira, no auditório da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais (ESECS) do Politécnico de Portalegre, no evento denominado "Diálogos em Educação”, onde relatou na primeira pessoa o “pesadelo” que sofreu durante os nove anos em que foi vítima de stalking, crime que levou pela primeira vez a um tribunal português.

O caso ocorreu entre 2003 e 2012, depois de dois julgamentos não houve pena efetiva e a indeminização pecuniária não foi paga.

Em declarações à Rádio Portalegre, António Ribeiro, explicou que “aponta o dedo ao país porque, num Estado de direito democrático, tem que existir meios de defender os cidadãos e ninguém sabia o que se estava a passar”.

O assédio de que foi alvo foi transformado em livro, “És meu, disse ela” foi para o vocalista dos UHF uma forma de terapia.

"À conversa sobre stalking, uma forma de violência através de comportamentos de assédio" foi o tema da iniciativa "Diálogos em Educação VIII, promovida pela ESECS.

Carla Aguiã