foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Este domingo, 15/12, ouça mais uma Tarde Desportiva a partir das 14h. Destaque para a 4ª j. Taça Grupo JI

Boas Festas - Feliz Natal

Portalegre/Museu das Tapeçarias:candidato do PS acusa presidente da Câmara Municipal de comportamento "leviano e irresponsável"

O candidato do PS à Câmara de Portalegre nas autárquicas, Pinto Leite, acusou hoje a presidente do município, Adelaide Teixeira, de comportamento “leviano e irresponsável” no processo que ditou o encerramento, no sábado, do Museu das Tapeçarias, naquela cidade.

Em declarações aos jornalistas em conferência de imprensa na sua sede de campanha, Pinto Leite, repudiou “o comportamento irresponsável” da presidente da Câmara de Portalegre, argumentando que o mesmo “prejudica gravemente os interesses da cidade”.

O Museu das Tapeçarias de Portalegre está encerrado ao público desde sábado, dia em que a Manufactura de Tapeçarias de Portalegre decidiu retirar todo o seu espólio daquele espaço museológico.

Em declarações à Rádio Portalegre o consultor científico da Manufatura de Tapeçarias de Portalegre, Diogo Gaspar, explicou que o encerramento do museu se deve ao facto da presidente da Câmara de Portalegre, Adelaide Teixeira, ter decidido “revogar unilateralmente”, o protocolo com a Manufatura de Tapeçarias.

Diogo Gaspar acrescentou que após a revogação do contrato “a proprietária e diretora da Manufatura de Tapeçarias, Vera Fino, entendeu que “estavam quebradas as mais elementares regras de cordialidade e institucionais entre a Câmara Municipal e a Manufatura de Tapeçarias”, e por essa razão decidiu retirar todo o seu espólio”.

Segundo o mesmo responsável, a Câmara de Portalegre “não cumpriu” com o que estava estipulado no contrato, uma vez que "revogou um protocolo que era irrevogável" e, depois porque nos dois anos de duração do acordo, “não realizou as obras” necessárias à manutenção do espaço museológico.

Confrontada com o encerramento do museu da Tapeçaria, a presidente da Câmara de Portalegre, Adelaide Teixeira, esclareceu que o executivo municipal decidiu “por unanimidade” rescindir o contrato celebrado com a Manufatura para posterior “renegociação”.

A autarca e cabeça de lista pela Candidatura Livre e Independente por Portalegre (CLIP), à Câmara de Portalegre nas eleições autárquicas, assegurou que “a relação do município com a Manufatura de Tapeçarias é para manter”.

O candidato do PS e vereador na Câmara de Portalegre, Pinto Leite, admitiu que a oposição, “perante a insistência” da presidente do município, aprovou a renegociação do contrato com a Manufatura de Tapeçarias, tendo avisado a autarca “a ter todo o cuidado a tratar e negociar este assunto”.

De acordo com o socialista, a presidente da Câmara de Portalegre, não terá sequer contactado com a Manufatura de Tapeçarias, enviando apenas uma carta de rescisão unilateral do protocolo.

O museu de Tapeçarias de Portalegre – Guy Fino foi inaugurado em 2001, o protocolo entre o município local e a Manufatura foi celebrado em 2012 e previa que a gestão fosse exercida pela Manufatura, ficando a autarquia responsável pela manutenção do equipamento e pelo pessoal. 

Gabriel Nunes/Carla Aguiã/Susana Mourato