foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Este domingo, 15/12, ouça mais uma Tarde Desportiva a partir das 14h. Destaque para a 4ª j. Taça Grupo JI

Boas Festas - Feliz Natal

CIMAA/debate: economia social do Alto Alentejo “uma prespetiva de futuro” que obriga a “quebrar barreiras”

A Coração Delta, associação de solidariedade social do Grupo Nabeiro, quer “mobilizar a comunidade do Alentejo para quebrar barreiras e procurar as respostas adequadas a nível da acção social”.

Em declarações à Rádio Portalegre, Carlos Pêpê da Coração Delta, acrescentou que “a associação tem vindo a desenvolver um modelo inovador e transversal, na área do desenvolvimento pessoal e social”.

O trabalho da associação, com sede em Campo Maior, é desenvolvido através de várias valências, tais como o Centro Educativo Alice Nabeiro, intervenção precoce, serviço de apoio a crianças e jovens, voluntariado e projectos ambientais e de cidadania”

Carlos Pêpê falava esta quinta-feira, no auditório da biblioteca municipal de Monforte, no âmbito de uma conferência sobre “A estratégia de desenvolvimento da economia social do Alto Alentejo”, promovida pela CIMAA - Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo.

Manuel Chagas, presidente da Associação dos Amigos da 3º idade de Fortios, no concelho de Portalegre, foi também orador neste colóquio e, à margem da sua alocução defendeu que “a economia social deve ser entendida como uma prespetiva de futuro.”

Segundo Manuel Chagas a estratégia de qualquer dirigente deve sempre assentar na “ambição de que é possível fazer melhor”, e o desenvolvimento da economia social é um dos caminhos que as IPS’S podem seguir, “para sair da situação difícil em que se encontram”.

O mesmo responsável congratulou-se com a iniciativa da CIMAA, sustentando que o debate em torno da “economia social” deve ser promovido e alargado.

Carla Aguiã