foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 30 Anos ao Serviço da Região

Portalegre/IPP: Uma âncora de desenvolvimento que continua a marcar pontos

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas sentadas, mesa e interiores

O valoriza, unidade de investigação do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), foi avaliado com muito bom pela Fundação para a ciência e Tecnologia (FCT) e apoiado com financiamento e bolsas de doutoramento.

 

O presidente do IPP, Albano Silva, congratulou-se com esta “conquista”, bem como pelo facto da instituição que dirige acolher o laboratório de economia circular do Alentejo, mais valias que fazem do IPP “cada vez mais uma âncora fundamental do desenvolvimento regional”.

O presidente do IPP falava, quinta feira, na sessão de abertura da 1ª Mostra de Economia Circular que decorreu no Campus do Politécnico em Portalegre.

Para o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), Roberto Grilo, esta mostra deverá manter-se em Portalegre e consolidar-se como um contributo para o Alto Alentejo, uma região em que a qualidade ambiental e a sustentabilidade são pilares da estratégia de desenvolvimento.

Roberto Grilo sublinhou ainda, que a economia circular é uma temática que tem estado no topo da agenda da CCDRA e que tem merecido priorização em temas estratégicos.

Na sua intervenção a presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira, chamou a atenção para o facto da economia circular ser, acima de tudo, um conceito social que tem a ver com a mudança de mentalidades e comportamentos.

Adelaide Teixeira acrescentou que nesta temática Portalegre tem cartas a dar e pode ser exemplo, numa área de investigação diferenciadora que contribua para a fixação de pessoas.

A sessão de abertura do evento contou ainda com a presença de João Ataíde, secretário de Estado do Ambiente, que deixou desafios para o trabalho do Laboratório de economia circular do IPP, nomeadamente no que diz respeito à valorização dos solos e reutilização das águas.

A 1ª Mostra de Economia Circular do Alentejo foi a 2ª Maratona de Projetos de Economia Circular e debruçou-se sobre temas diversos tais como a circularidade no setor da construção, Laboratórios Circulares e Compras Públicas Circulares.

O conceito de Economia Circular resulta da necessidade de preservar, o máximo de tempo possível, a utilidade e o valor dos recursos materiais e energéticos.

A mostra no IPP, que decorreu quinta e sexta feira, contou ainda com a CCDRA, autarquia de Portalegre, Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo e Areanatejo enquanto entidades organizadoras.

Carla Aguiã