foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 30 Anos ao Serviço da Região

Autarca de Gavião defende "não haver razão" para mandar recolher as cerca de 200 golas antifumo inflamáveis distribuídas em oito aldeias

Nenhuma descrição de foto disponível.

(Por Gabriel Nunes) - O presidente da Câmara de Gavião, José Pio afirmou hoje “não haver razão” para mandar recolher as golas antifumo, fabricadas com material inflamável, distribuídas em 8 aldeias daquele concelho, no âmbito do programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras”.

 

Em declarações à Rádio Portalegre, José Pio justificou a sua decisão, argumentando que as golas antifumo “não são para combater incêndios”, e por outro lado “qualquer material é inflamável desde que exposto ao fogo”.

O autarca socialista referiu que aquando das sessões de esclarecimento do programa “Aldeia Segura-Pessoas Seguras” nas aldeias do seu concelho, foi dito que as golas eram apenas para proteção contra a inalação de fumo.

Contudo, o socialista indicou que vai comunicar aos “oficiais de segurança” das aldeias para reforçarem a mensagem junto das pessoas para usarem as golas apenas para se protegerem do fumo e não as exporem ao fogo.

José Pio revelou ainda terem sido distribuídas cerca de 200 golas antifumo pelas oito aldeias do município que aderiram ao programa.

A Autoridade Nacional de Emergência Proteção Civil (ANEPC) entregou setenta mil golas antifumo, incluídas em kits de socorro aos incêndios, ao abrigo do programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras”.

As golas são fabricadas com material inflamável e sem tratamento anticarbonização, o que provocou uma série de criticas à ANEPC e ao Governo.