foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

Marvão:Presidente da Câmara alerta para risco de desaparecimento do olival tradicional

A imagem pode conter: árvore, céu, planta, ar livre e natureza

(Por Gabriel Nunes) - O presidente da Câmara de Marvão, Luís Vitorino alertou que as novas culturas de olival intensivo e superintensivo estão a colocar em risco o olival tradicional.

De acordo com Luís Vitorino o olival tradicional não pode competir com o olival intensivo e superintensivo na produção de azeite a baixo custo.

 

Para o autarca as autoridades competentes deviam a curto prazo tomar medidas, nomeadamente conceder apoios aos pequenos agricultores, para impedir o desaparecimento das pequenas explorações de azeite, que ainda ajudam ao sustento de muitas famílias daquele concelho alentejano.

As desvantagens do olival tradicional para os olivais intensivo e superintensivos são bastante significativas, desde logo, enquanto a entrada em plena produção de um olival tradicional pode ser uma década, no sistema superintensivo isso acontece ao fim de três.

Por outro lado, no sistema moderno há uma menor dependência de mão-de-obra e permite atingir uma produção de azeitona três a quatros vezes mais do que nas culturas tradicionais.