foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

Gabinete de Apoio à Vítima do Alto Alentejo Oeste afirma que a pandemia criou condições para aumento de casos de violência doméstica

Pode ser uma imagem de texto que diz "DIA EUROPEU DA VÍTIMA DE CRIME."

(Por Gabriel Nunes) - O Gabinete de Apoio à Vítima do Alto Alentejo Oeste reconheceu hoje que a pandemia da covid-19 criou condições para um aumento dos casos de violência doméstica.

 

Em declarações à Rádio Portalegre, Rita Martinho, porta-voz da associação, indicou haver um aumento do número de novos processos e de pedidos de ajuda de vítimas, sobretudo de violência doméstica, durante o confinamento geral em vigor, em comparação com o confinamento do ano passado.

Rita Martinho, que falava à Rádio Portalegre, a propósito do Dia Europeu da Vitima de Crime, que se assinala esta segunda feira, adiantou que a violência doméstica é o crime que prevalece, mas também têm recebido pedidos de ajuda relacionados com crimes de burla e de bullying.

A mesma responsável adiantou que a grande maioria das vítimas são mulheres, mas também tem vindo a crescer o número de homens que pedem ajuda à associação.

A nível nacional, e durante o primeiro período de confinamento, entre março e maio do ano passado, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) recebeu quase 700 denúncias de casos de violência, na maioria casos de violência doméstica.