foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

Alentejo2020

SPZS diz que seis escolas do distrito de Portalegre têm amianto e exige a retirada daquela substância cancerígena proibida por lei

O Sindicato dos Professores da Zona Sul (SPZS) exigiu hoje a remoção de amianto das escolas, uma substância cancerígena e que está proibida por legislação.

Em declarações a esta estação emissora, o dirigente sindical, José Janela, denunciou a existência de seis escolas no distrito de Portalegre com amianto na cobertura dos edifícios.

Segundo o mesmo responsável, além da Escola Básica 2,3 de Monforte, que é o exemplo mais conhecido, os edifícios das escolas básicas de Arronches, Sousel, Nisa, Santa Luzia, em Elvas, e escola do 1º Ciclo da Cooperativa, em Campo Maior, também contêm amianto.

José Janela lembra que a lei que impõe a remoção do amianto em locais públicos tem três anos, acusando o governo de pouco ou nada ter feito para resolver um problema que pode implicar graves prejuízos para a saúde de milhares de pessoas.

Gabriel Nunes/Susana Mourato