foto5.png

Ministro da Saúde diz que maternidade de Portalegre não é para fechar

O ministro da Saúde diz que a maternidade de Portalegre não é para fechar, mesmo que fique abaixo dos mil partos por ano.

Em entrevista à Renascença e ao Jornal de Negócios, Paulo Macedo, defendeu ainda que as grávidas devem de optar pela maternidade de Portalegre em detrimento de Badajoz.

O número de partos efetuados na maternidade do hospital de Portalegre atingiu um novo recorde no ano de 2013, com 580 nascimentos, mais duas dezenas do que no ano anterior.

Para o ministro da Saúde a subida dos partos em Portalegre está relacionada com o acompanhamento das grávidas, desde o início da gestação, que é feito pelos profissionais da maternidade.

A Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) incrementou, em finais de 2011, o projeto “Maternidade Mais Próxima da Comunidade”, que proporciona cursos de preparação para o parto distribuídos pelos 16 centros de saúde distritais, orientados por enfermeiras especialistas em saúde materna e obstétrica.

Gabriel Nunes