foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

Alentejo2020

Portalegre:secretário geral da UGT disponível para "fazer guerra brutal" contra eventual suspensão das convenções coletivas de trabalho

Foto: O secretário geral da UGT, Carlos Silva, mostrou-se hoje disponível para “fazer uma guerra brutal” para travar a intenção do governo de suspender as convenções coletivas de trabalho.Carlos Silva, que falava, no encerramento do II Congresso da UGT Portalegre, afirmou que uma eventual suspensão das convenções coletivas significa um retrocesso de 40 anos nos direitos dos trabalhadores.O dirigente sindical apelou ao governo para refletir bem aquilo que pretende fazer, e avisou o executivo de Passos Coelho, que não troca um aumento do salário mínimo nacional pela subtração de direitos aos trabalhadores.O secretário geral da UGT, Carlos Silva, mostrou-se hoje disponível para “fazer uma guerra brutal” para travar a intenção do governo de suspender as convenções coletivas de trabalho.

Carlos Silva, que falava, no encerramento do II Congresso da UGT Portalegre, afirmou que uma eventual suspensão das convenções coletivas significa um retrocesso de 40 anos.

O dirigente sindical apelou ao governo para refletir bem aquilo que pretende fazer, e avisou o executivo de Passos Coelho, que não troca um aumento do salário mínimo nacional pela subtração de direitos aos trabalhadores.

O presidente da UGT Portalegre, Chambel Tomé, por seu turno, apelou ao governo para não fechar mais organismos públicos no Norte Alentejano, uma região, que diz, sofre de um atraso estrutural em relação a outras regiões do país devido à inoperância dos últimos pacotes de fundos comunitários.

O dirigente sindical reclamou ainda  incentivos redobrados para o distrito de Portalegre e medidas adicionais para a criação de emprego para elevar a competitividade da região.

No congresso, realizado nas instalações do Centro de Formação Profissional de Portalegre, os congressistas reelegeram, com 100 por cento dos votos ,o presidente da UGT Portalegre, Chambel Tomé, para um novo mandato de quatro anos.

Gabriel Nunes