foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

25 Abril: autarca de Portalegre espera que "as recentes medidas aprovadas pelo Governo em relação aos territórios de baixa densidade, possam revelar-se positivas e tenham um efeito revitalizador”

A presidente da Câmara de Portalegre disse este sábado que “o país está a crescer de forma indesejável ao nível económico e demográfico”.

Adelaide Teixeira, eleita por um movimento independente, que falava na sessão solene comemorativa do 41º aniversário do 25 de Abril, alertou ainda que “os municípios vivem tempos difíceis e espera que as recentes medidas aprovadas pelo Governo em relação aos territórios de baixa densidade, possam revelar-se positivas e tenham um efeito revitalizador”.

A bloquista, Maria da Luz Louro, por seu turno, alertou que “o país não está bem e a corrupção não foi combatida”, justificando que desde o 25 de Abril de 1974 que os caminhos trilhados não foram os melhores.

Mais otimista foi o discurso de António José Moraes Batista do CDS/PP que afirmou que “passados 40 anos, Portugal está melhor”, dando como exemplo o que considera ser “a melhor conquista de Abril”, o Serviço Nacional de Saúde.

Já o social democrata Cristóvão Crespo aproveitou a oportunidade para acusar o executivo municipal de Portalegre “de não saber utilizar os instrumentos financeiros disponibilizados pelo Governo” responsabilizando a maioria CLIP, pela situação económica de Portalegre, pelo facto de ter recusado aderir ao Programa de Apoio à economia Local (PAEL).

O socialista Luís Testa lembrou que em “41 anos foi o Estado que sempre esteve ao lado da população”, contudo frisou que “ no distrito de Portalegre temos sido conduzidos por uma azinhaga estreita”.

O comunista Hugo Capote optou por um discurso sem ataques, de incentivo à população, focado na esperança e desafiando a população a intervir na sociedade e a defender sempre a cidade de Portalegre.

Em Portalegre, as comemorações da Revolução dos Cravos, integraram ainda um momento musical a cargo da Escola de Artes do Norte Alentejano e a leitura de textos e poemas a cargo de alguns alunos da Escola Secundária de S. Lourenço.

Susana Mourato