foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

Futebol/I Distrital Portalegre:Presidente do Mosteirense acusa árbitro Carlos Alexandre de "serviço encomendado"

O presidente do Futebol Clube Mosteirense, Fernando Martins, acusa o árbitro Carlos Alexandre, que dirigiu o jogo de domingo com o Gafetense, de “serviço encomendado”.

O dirigente reagia à decisão do juiz Carlos Alexandre em acabar, ao minuto 74, com o jogo Mosteirense-Gafetense da sexta jornada do campeonato da I Divisão Distrital da Associação de Futebol de Portalegre (AFP).

O árbitro alegou falta de segurança para terminar o jogo antes do tempo regulamentar, mas o presidente do Mosteirense desmente Carlos Alexandre.

Em declarações à Rádio Portalegre, Fernando Martins, disse que o árbitro Carlos Alexandre “foi fazer um serviço encomendado”, considerando este episódio “mau para o futebol distrital”.

O treinador do Mosteirense, Jorge Moura, também comentou o polémico episódio, referindo que “é prejudicial para o futebol”.

Do outro lado o treinador do Gafetense, Nuno Coelho, escusou-se a fazer comentários.

Quando o árbitro Carlos Alexandre apitou para o final do desafio Mosteirense-Gafetense, a equipa da Gáfete ganhava por 2-1.

Aguarda-se agora por uma decisão da Associação de Futebol de Portalegre que pode atribuir uma derrota por 3-0 à formação de Mosteiros, ou mandar jogar os 16 minutos que faltam para completar o tempo regulamentar.

Gabriel Nunes