foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

Alentejo2020

Cabeço de Vide:número de frequentadores do complexo termal vem a cair desde há três anos

A afluência de aquistas às Termas de Cabeço de vide, no concelho de Fronteira, tem vindo a cair “substancialmente” nos últimos anos, e as expectativas para a nova época termal, que arrancou a 16 de março, não são as melhores.

Em declarações à Rádio Portalegre, Manuel Fontainhas, responsável pelo complexo termal de Cabeço de Vide, apontou a supressão dos tratamentos termais do sistema de reembolsos da ADSE, há cerca de três anos, determinante na redução de utentes.

Manuel Fontainhas, que também exerce o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Cabeço de Vide, aludiu ainda à confusão criada nos utentes sobre os programas terapêuticos e os de bem-estar e lazer para justificar a quebra de aquistas.

Segundo o autarca, o complexo termal de Cabeço de Vide, dotado de um conjunto de balneários com capacidade para receber sete mil pessoas, foi frequentado durante a época termal de 2012, por cerca de 1.700 aquistas, a maioria de nacionalidade portuguesa.

As águas das Termas de Cabeço de Vide são consideradas de “excelente qualidade” para o tratamento de doenças respiratórias, reumáticas e de pele.

A época termal, nas Termas de Cabeço de Vide, prolonga-se até ao dia 15 de novembro.

Gabriel Nunes/Susana Mourato