foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 31 Anos ao Serviço da Região

Proteja-se a si e aos seus, mantenha distância social, use máscara e lave as mãos com frequência

Portalegre: PS dá pontapé de saída para as legislativas com ataque à política de direita

O presidente da Federação Distrital de Portalegre do Partido Socialista acusou os responsáveis sociais-democratas no distrito, nomeadamente o deputado Cristóvão Crespo, e o presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Armando Varela, de não defenderem um milímetro do património político de Portalegre.

Luís Testa afirma que “os sociais-democratas limitam-se a fazer política de gabinete” sem se insurgirem contra o encerramento de serviços públicos no Alto Alentejo.

O presidente da Federação Distrital de Portalegre do Partido Socialista falava ontem, ao final da tarde no Crato, durante um comício que marcou o arranque da campanha eleitoral para as legislativas de 2015.

Também presente no comício, o secretário nacional do PS, João Galamba, considerou as eleições legislativas de 2015 “as mais importantes dos últimos anos em Portugal”.

João Galamba fez uma retrospetiva do desempenho do Governo nos últimos anos, lembrando expressões menos felizes de Passos Coelho que, em 2012, pediu aos portugueses para serem menos “piegas”.

O socialista acusou ainda o primeiro- ministro de estar “colado de forma miserável às posições mais ortodoxas da Europa, que objetivamente não servem os interesses do país”.

O comício, da Federação Distrital de Portalegre do Partido Socialista pautou-se pela crítica ao Governo.

O anfitrião e autarca da vila do Crato, o socialista Correia da Luz, responsabilizou o primeiro-ministro, Passos Coelho pelos cortes nos salários, despedimentos e roubo de pensões”.

Segundo Correia da Luz “o PS não está apostado em vencer partidos, mas está determinado em derrubar a política golpista de direita que põe o capital a mandar nas nações”.

O comício decorreu este domingo, ao final da tarde, no Largo Bello Moraes na vila do Crato.

 

Carla Aguiã