foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 30 Anos ao Serviço da Região

Portalegre:diretor da Segurança Social acusa Misericórdia de Arronches de "ignorar" recomendações para não aumentar número de idosos institucionalizados no lar improvisado na CAESA

O diretor distrital da Segurança Social de Portalegre acusou hoje a Misericórdia de Arronches de “ignorar” as recomendações para reduzir o número de idosos institucionalizados no lar improvisado na CAESA, encerrado a 20 de abril.

João Carlos Laranjo, que falava hoje em conferência de imprensa, explicou que o projeto das obras no Lar da Misericórdia de Arronches, previa o acolhimento de 37 idosos, sendo que, em fevereiro deste ano, estavam no lar improvisado na CAESA, mais 17 idosos do que o previsto.

De acordo com o dirigente, a Misericórdia de Arronches não conseguiria, após o término de todas as obras, transferir para o lar no edifício sede da instituição, todos os idosos que estavam institucionalizados na CAESA.

Os 23 utentes que se encontravam institucionalizados na Cooperativa Agrícola de Esperança e Arronches (CAESA) foram recolocados em outras instituições do distrito de Portalegre, após o encerramento daquela resposta social.

A Misericórdia de Arronches foi notificada pela Segurança Social, a primeira vez, no dia 19 de fevereiro deste ano, para proceder ao encerramento do lar improvisado na CAESA, pelo facto de o mesmo estar em atividade “sem que o funcionamento estivesse devidamente autorizado através de acordos de cooperação ou autorização provisória de funcionamento”.

O lar improvisado na CAESA estava em funcionamento desde 2007, num espaço cedido pela Câmara Municipal de Arronches.

Gabriel Nunes/Carla Aguiã