foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

Alentejo2020

Paulo Batista pondera abandonar a arbitragem depois da despromoção à 2ª categoria

O árbitro de Portalegre, Paulo Baptista, mostrou-se “desiludido” com a despromoção à segunda categoria e admite abandonar a arbitragem a dois anos de atingir o limite de idade para exercer a atividade.

O juiz da Associação de Futebol de Portalegre (AFP) ficou em 24º e penúltimo lugar na classificação do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), divulgada na sexta feira.

Com uma nota final de 3.688, Paulo Baptista, é acompanhado na descida à segunda categoria, por Renato Gonçalves, 25º e último classificado, com a nota de 3.639.

Em declarações exclusivas à Rádio Portalegre, Paulo Baptista, referiu que ficou “surpreendido” com a nota que lhe foi atribuída pelo Conselho de Arbitragem da FPF.

Ao fim de 17 anos consecutivos na primeira categoria, Paulo Baptista, não escondeu a sua “desilusão” ao ser confrontado com a primeira descida de categoria ao longo da sua carreira e admite abandonar a arbitragem.

Paulo Baptista, é o mais antigo árbitro português em atividade, dirigiu mais de 200 jogos nos campeonatos profissionais de futebol em Portugal.

Um dos pontos altos da sua carreira foi a nomeação para a final da Taça de Portugal 2011/12, entre o Sporting e a Académica de Coimbra.

Para o Conselho de Arbitragem da FPF o melhor árbitro português na época 2012/13, foi Jorge Sousa, com uma nota final de 3.934. Rui Silva foi o segundo classificado e Pedro Proença completou o pódio, ambos com a nota de 3.924.

Gabriel Nunes/Carla Aguiã