foto5.png

Doentes oncológicos e diabéticos também receberam SMS da ULSNA a reclamar o pagamento de taxas moderadoras

Foto de Rádio Portalegre.

(Por Gabriel Nunes) - Doentes oncológicos e diabéticos, que de acordo com a lei estão isentos do pagamento de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde, também foram notificados pela Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) para o pagamento de dívidas em atraso.

 

A Rádio Portalegre falou com a filha de uma doente oncológica que recebeu uma SMS para pagar mais de 240 euros em taxas moderadoras, bem como com uma mulher que sofre de diabetes e a quem a ULSNA pede 90 euros.

Uma outra mulher, que disse ser isenta há mais de 6 anos, depois de ter sido sujeita a uma intervenção cirúrgica que a impediu de continuar a trabalhar, revelou que recebeu uma mensagem para pagar mais de 11 euros, e ao confrontar os serviços da ULSNA foi-lhe dito tratar-se de um erro informático.

A Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) enviou, segunda feira, milhares de SMS, algumas a notificar utentes isentos e outros já falecidos, para o pagamento de taxas moderadoras.

O Conselho de Administração da ULSNA prometeu esclarecer esta situação, mas enviou à Rádio Portalegre um comunicado lacónico no qual apenas refere que “caso o utente já tenha regularizado a divida deve ignorar o SMS, caso contrário deve contatar os serviços da ULSNA para efetivar a regularização da sua situação ou estado”.

No mesmo comunicado é indicado que a dívida dos utentes da ULSNA referente a taxas moderadoras (consultas, exames complementares de diagnóstico e outros serviços de Saúde prestados) é superior a 2,5 milhões de euros.

As SMS foram recebidas por utentes de praticamente todo o distrito a reclamar o pagamento de taxas moderadoras, alegadamente em atraso.

Muitos dos utentes usaram as redes sociais, como o Facebook, para mostrarem a sua surpresa, pelo facto de estarem isentos do pagamento de taxas moderadoras há largos anos.

Existem também outros casos em que a ULSNA está a notificar utentes para liquidar pagamento de taxas em atraso de familiares que já falecerem, alguns há oito anos.