foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

RÁDIO PORTALEGRE

A RÁDIO LOCAL MAIS OUVIDA NA REGIÃO SUL DE PORTUGAL

               OBRIGADO PELA SUA PREFERÊNCIA 

Crato regressa ao BTT do Alto Alentejo com Avis, Alter do Chão e Portalegre

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas sentadas, barba e interiores

Avis, Alter do Chão, Crato e Portalegre são os municípios que, este ano, participam no BTT do Alto Alentejo. O evento, que vai na 24 edição, arranca este fim de semana e prolonga-se até 14 de outubro.

A Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA) apresentou o “circuito”, esta segunda feira, na Câmara do Crato, município que regressa à prova após cinco anos de ausência.

 

O autarca do Crato Joaquim Diogo, diz que o município “tem que começar a ter uma dinâmica de participação em tudo aquilo que seja intermunicipal”.

O presidente aproveitou para lançar um desafio aos restantes municípios do Alto Alentejo para que, de futuro, possam integrar as iniciativas da CIMAA, sobretudo as de carater desportivo, sublinhado que a promoção desporto é “uma responsabilidade das autarquias”.

O BTT do Alto Alentejo espera a participação de 350 atletas por prova. Segundo Duarte Claudino, da CIMAA, é um projeto que, para alem de promover a atividade física, “divulga o potencial turístico dos locais onde se desenvolve”.

O circuito, aberto à participação de todos os atletas, federados ou promoção, ambos divididos por escalões, é composto por quatro provas, a realizar uma em cada um dos concelhos que aderiram à iniciativa.

As primeiras provas vão decorrer, no fim de semana, em Avis. Sábado com as provas dos atletas de Promoção e das Escolas, domingo para federados, sendo que a prova conta para a Taça de Portugal.

O BTT do Alto Alentejo, organizado pela associação de ciclismo de Santarém, prossegue a 30 de setembro em Chança, concelho de Alter do Chão e termina, a 14 de outubro em Alegrete, Portalegre.

Nota ainda para os “prémios” oferecidos aos vencedores de cada categoria, que este ano são elaborados pelos utentes da Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental, a APPACDM de Portalegre.

Carla Aguiã