foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

Autárquicas 2021 - Esta quarta feira a partir das 12:00 Portalegre em debate na Rádio Portalegre

Campo Maior inaugurou requalificação da fortificação abaluartada da vila

Pode ser uma imagem de ao ar livre

(Por Gabriel Nunes/Carla Aguiã) - A Câmara Municipal de Campo Maior inaugurou, sábado, as obras de requalificação da fortificação abaluartada daquela vila alentejana, que implicaram um investimento de cerca de cinco milhões de euros.

 

Numa cerimónia realizada no Baluarte de São Sebastião, o presidente da Câmara de Campo Maior, João Muacho, começou por afirmar que o projeto agora concluído é fruto de “um trabalho de persistência, feito de muita força de vontade, e sobretudo de pessoas, sem as quais não seria possível transformar parte tão importante de património histórico da vila numa referência para gerações futuras”.

No seu discurso o autarca agradeceu a colaboração, ao longo de um caminho iniciado em 2010, da Direção Regional da Cultura do Alentejo, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), do antigo presidente da Câmara de Campo Maior, Ricardo Pinheiro, e dos atuais e antigos vereadores e trabalhadores da autarquia.

A cerimónia foi presidida pelos secretários de Estado, do Planeamento, Ricardo Pinheiro, e Património Cultural, Ângela Ferreira.

A governante começou por sublinhar que o projeto de requalificação da fortificação abaluartada de Campo Maior só foi possível devido a “um encontro de vontades” entre o Governo e o município de Campo Maior.

Ângela Ferreira afirmou em seguida que a fortificação de Campo Maior é “um tesouro cultural da maior singularidade, enquanto imóvel, mas também com um edifício que conta uma história de centenários”.

O secretário de Estado do Planeamento, o campomaiorense Ricardo Pinheiro, por seu turno, exultou com a conclusão de um projeto, em que o próprio esteve envolvido, considerando que as gentes de Campo Maior devem estar “absolutamente orgulhosas”.

A cerimónia de inauguração da fortificação abaluartada de Campo Maior fechou com um “espetáculo piromusical”, que envolveu a totalidade dos 1.600 metros de muralha intervencionada.