foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

 Eleições Autárquicas 2021

Este Domingo a Partir das 20:00h Especial Eleições Autárquicas  na Rádio Portalegre

Não Perca os Resultados as Opiniões e Reações Dos Diferentes Candidatos às Eleições Autárquicas 2021

Rádio Portalegre - A Sua Rádio Todos os Dias

Nisa:Idalina Trindade diz que "seria uma desonra" se as gentes do concelho não lhe permitissem inaugurar a ponte internacional sobre o Rio Sever na qualidade de presidente da Câmara

Pode ser uma imagem de 8 pessoas, pessoas em pé e texto que diz "#RecuperaçãoEmAção ASSINATURA DE CONTRATOS PONTE INTERNACIONAL SOBRE O RIO SEVER CÂMARA MUNICIPAL NISA"

A Ponte Internacional sobre o Rio Sever, que unirá Montalvão (Nisa) a Cedillo (Cáceres), que implica um investimento de 9 milhões de euros, deverá estar concluída em 2025.

 

O lançamento da obra, financiada pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), está previsto para acontecer dentro de dois anos.

Esta quarta feira na cerimónia de assinatura do contrato de financiamento da obra, a presidente da Câmara de Nisa, Idalina Trindade, começou por dizer que "seria uma desonra" se a população do seu concelho não lhe permitisse inaugurar a ponte na qualidade de presidente daquele município. 

A autarca socialista "tranquilizou" ainda "alguns velhos do Restelo" que ainda fazem passar a mensagem  de que a obra não avança, asseverando que "este compromisso já não volta para trás".

Na cerimónia que decorreu no Cineteatro de Nisa, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), António Ceia da Silva, falou num "dia histórico e único", que vai permitir "aproximar Nisa e o Alto Alentejo à Europa".

A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, por  seu turno, asseverou que o Governo "vai respeitar o compromisso" assumido com as gentes de Nisa, até porque, disse, se a ponte não for construída "Portugal perde a verba" que lhe está destinada. 

De acordo com uma nota do Governo, "a Ponte Internacional sobre o Rio Sever vai beneficiar toda a região do Alentejo e da Estremadura, sendo fundamental para a valorização dos territórios do Interior e para a coesão territorial e transfronteiriça, com impactos positivos na dinamização cultural, social e económica, de cooperação e emprego nos dois lados da fronteira".