foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

RÁDIO PORTALEGRE 09/11/1989 - 09/11/2021

32 ANOS AO SERVIÇO DA REGIÃO

OBRIGADA PELA PREFERÊNCIA

Covid-19: Portugal na quinta vaga. Especialistas defendem reforço da vacinação e medidas de proteção individual

Nenhuma descrição de foto disponível.

(Por Carla Aguiã) - Portugal encontra-se na quinta fase pandémica da covid-19, com uma tendência crescente do número de casos e mortes associadas à doença, a afirmação foi feita esta sexta feira por Pedro Pinto Leite, da Direção- Geral da Saúde (DGS), que falava na reunião de especialistas  na sede do Infarmed.

O encontro foi convocado pelo primeiro-ministro, António Costa, no sentido de encontrar soluções para o crescente número de casos diários e mortes associadas à covid-19.

 

Na sua apresentação sobre a evolução da covid-19 em Portugal, Pedro Pinto Leite disse que o país apresenta uma incidência média a 14 dias de 203 casos por 100 mil habitantes, mas com menor impacto na mortalidade e internamentos em comparação com fases anteriores.

O especialista da DGS adiantou que o grupo etário dos 0 aos 9 é o que apresenta maior incidência, seguindo-se o dos 20 aos 29 e dos 30 aos 39 anos, todos tem tendência crescente, exceto os maiores dos 80 anos.

Pinto Leite adiantou que os internamentos e as mortes, associadas à covid-19, aumentaram face ao período homólogo, revelando ainda que a média de idades das mortes é de cerca de 83 anos e que a maioria dos doentes internados tem mais de 60 anos, seguido pelo grupo etário com mais de 80.

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 87 por cento dos portugueses estão completamente vacinados contra a covid-19.

A aposta passa agora pelo reforço da vacinação, para tentar travar esta tendência crescente do número de casos.

Henrique Barros, epidemiologista do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, disse que desde maio e até agora a adesão às vacinas evitou 200 mil infeções e poupou 2.300 vidas .

Tendo em conta estes números, Henrique Barros defende que a vacinação das crianças “seguramente é uma prioridade”, bem como o reforço, à medida que o tempo vai passando.

Depois de ouvir os especialistas, o primeiro-ministro vai ainda vai auscultar os partidos na próxima semana, para posteriormente anunciar as medidas a tomar.