foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

RADIO PORTALEGRE - A Mais Ouvida do Alentejo

Elvas:autarquia anuncia acordo com o Ministério da Defesa para cedência de todos os prédios militares da cidade

A Câmara de Elvas anunciou hoje ter chegado a acordo com o Ministério da Defesa, para a cedência, por um período de 50 anos, de todos os prédios militares localizados naquela cidade alentejana, a troco de 723,8 mil euros.

O protocolo estabelece a recuperação e reutilização de todos os edifícios, como o Quartel-General, Casa de Reclusão, Manutenção Militar, Convento de São Paulo, Portas e Poternas entre outros.

Em declarações à Rádio Portalegre, o presidente da Câmara de Elvas, Rondão Almeida, revelou que a autarquia está a preparar um projeto de trabalho de recuperação do património castrense da cidade que implica um investimento de mais de 20 milhões de euros, nos próximos cinco a seis anos.

Para além deste protocolo, que deixa de fora o edifício do antigo Regimento de Infantaria 8, onde se localiza atualmente o Museu Militar de Elvas, o município vai estabelecer outro protocolo com vista a cedência do Forte da Graça com os ministérios responsáveis pelo mesmo, nomeadamente Ministério da Defesa, do Tesouro, do Desenvolvimento Regional e da Cultura.

O documento prevê também a recuperação e reutilização deste monumento nacional, que se encontrava em estado de degradação, sendo a cedência por um período de 40 anos e eventualmente renovável por outros períodos até perfazer o total de 75 anos.

Segundo Rondão Almeida, a Câmara de Elvas prevê investir cerca de cinco milhões de euros, na requalificação do Forte da Graça, estando já constituída uma equipa que se encontra a trabalhar numa candidatura, que deverá ser apresentada a apoios comunitários até 15 de setembro deste ano.

O presidente da Câmara de Elvas admitiu que” este negócio é excelente” para o Estado, porque cede prédios completamente degradados, ainda arrecada dinheiro, e daqui a umas dezenas de anos vai receber esse património totalmente recuperado.

O autarca socialista, que não se pode recandidatar nas eleições autárquicas, devido à lei de limitação de mandatos, referiu ainda que a intenção do município ao celebrar os protocolos em causa é “respeitar as pedras do passado que têm por de trás muitas vidas e muito sofrimento” e por outro lado, dar corpo ao estatuto de Elvas Património Mundial.

Elvas é uma cidade com grandes características históricas e patrimoniais, tendo sido classificada pela UNESCO no dia 30 de Junho de 2012 como Património Mundial devido às suas fortificações do séc. XVII e XVIII.

Foram classificadas as Muralhas Seiscentistas de Elvas, o Aqueduto da Amoreira, Fortes da Graça e de Santa Luzia, Fortins de São Mamede, São Domingo e São Pedro, Cercas Medievais, edifícios militares e o Centro Histórico da antiga praça-forte de Elvas.

Situada num ponto estratégico, Elvas tem a sua história marcada pela guerra e pelos assédios castelhanos. Foi essa história militar que torna possível hoje observar todo o património militar da cidade: o Forte de Santa Luzia, o Forte da Graça, os Fortins de São Mamede, São Domingo e São Pedro, os quatro panos de muralha e ainda todos os estabelecimentos militares, monumentos que juntos tornam Elvas como uma das maiores cidades quartel de guerra e com a maior fortaleza abaluartada terrestre de todo o mundo.

Gabriel Nunes