Img 8981

Portalegre: 50 anos depois de abril o poder local continua a reclamar apoio do Governo para o interior

Cinquenta anos depois da revolução dos cravos, o primeiro presidente da Câmara de Portalegre, eleito em 1976, Fernando Soares, reclama desenvolvimento e apoio do Governo para o interior.

Em declarações à Rádio Portalegre, Fernando Soares, eleito pelo PS, afirma que todos os autarcas têm contribuído para mudar o país, mas sublinha que o Governo tem que se preocupar com o desenvolvimento do interior.

O antigo autarca falava, esta quinta feira, em Castelo de Vide, durante uma cerimónia de homenagem aos presidentes de câmara e presidentes de assembleia municipal eleitos em 1976, nas primeiras eleições livres do poder local, que contou ainda com a presença de António José Canoa, antigo presidente da Câmara de Monforte, Arménio Morais Almeida e António Moura Rosa, antigos presidente das Assembleias Municipais de Nisa e Gavião.

A iniciativa promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), no âmbito das comemorações dos 50 anos do 25 de abril de 1974, juntou os atuais representantes dos quinze Municípios do distrito de Portalegre.

Para o presidente da CIMAA, Hugo Hilário, a celebração começou “com chave de ouro” e de forma concertada, num município icónico, pela ligação umbilical com o capitão de abril Salgueiro Maia.

A Casa da Cidadania Salgueiro Maia, no Castelo da vila alentejana, foi o palco da cerimónia.

Para o anfitrião, o presidente da Câmara de Castelo de Vide, António Pita, foi “uma escolha feliz” pelo grande simbolismo que o espaço representa.

A celebração começou com a deposição de uma coroa de flores junto ao busto de Salgueiro Maia no Parque 25 de abril e culminou com uma reunião da Assembleia Intermunicipal da CIMAA no auditório do Convento de São Francisco, da Fundação Nossa Senhora da Esperança, onde foram apresentados os livros escritos e ilustrados por cerca de 600 crianças dos 3.º e 4.º anos dos agrupamentos de escolas do Alto Alentejo, uma iniciativa em parceria com a Fábrica de Histórias da Cabeçudos.