Ulsna

Portalegre: investimento de 70 milhões na saúde

2024 pode ser um ano de viragem na prestação de cuidados de saúde no Alto Alentejo, com um investimento, na ordem dos 70 milhões de euros, em novas infraestruturas e equipamentos.

O objetivo final é o de garantir a atratividade das instituições públicas de saúde do distrito de Portalegre, com condições de excelência que contribuam para a fixação de profissionais.

Em declarações à Rádio Portalegre, o presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), Joaquim Araújo, disse que, no próximo ano, espera concretizar a aquisição do antigo colégio diocesano de Santo António e criar o Parque de Saúde do Alto Alentejo.

Segundo o dirigente “o processo já saiu do Ministério da Saúde e está no Ministério das Finanças”, onde aguarda despacho.

Joaquim Araújo explica a necessidade da criação do Parque de Saúde, um investimento global de 40 milhões euros, com o “congestionamento” do perímetro hospitalar que “não se compadece com aquilo que são as responsabilidades e a segurança das instalações”.

O investimento engloba a aquisição do antigo colégio, no montante de 2,5 milhões e a restante verba será alocada a obras de adaptação e transferência dos serviços.

Para além deste investimento, estão em curso obras, ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e do programa operacional 2030, cifradas em 30 milhões de euros, onde se inclui a nova Unidade de Cuidados Intensivos.

Joaquim Araújo, que falava no âmbito dos 49 anos do hospital distrital de Portalegre, assinalados esta quarta feira, disse ainda que a partir de 1 de janeiro de 2024 a ULSNA vai passar a designar-se Unidade Local de Saúde do Alto Alentejo (ULSAA).

A cerimónia, que assinalou os 49 anos do hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre, não contou, conforme tinha sido anunciado, com a presença do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, o que adiou a inauguração dos serviços de Pediatria, Ortopedia e Ressonância Magnética.