Psp

Portalegre: vigília por melhores condições de trabalho e aumento de salário reuniu dezenas de agentes da PSP e GNR

Dezenas de elementos das forças de segurança (PSP e GNR) reuniram-se na noite desta terça feira, numa vigília, na Praça da República, junto à sede do Comando Distrital da PSP em Portalegre.

O aumento de salário e melhores condições de trabalho são as reivindicações dos agentes da autoridade, que se sentem injustiçados pela tutela.

O chefe da PSP de Portalegre, José Bettencourt, explica que esta é uma luta de todas as classes e de todas as esquadras do país, pela equidade salarial, considerando uma injustiça, o facto do Governo ter atribuído um suplemento apenas à Polícia Judiciária (PJ).

José Benttencourt frisa ainda que os baixos salários e a falta de condições de trabalho têm contribuído para a baixa atratividade da profissão, o que tem tido consequências ao nível da redução de efetivos.

Para António Barreira, da Associação dos Profissionais da Guarda, esta “ação espontânea” é um “grito de revolta” que põe a nu as dificuldades da profissão e que exige respeito por parte dos políticos.

António Barreira lamenta que nada seja feito para melhorar as condições de trabalho dos agentes da autoridade, nomeadamente no que diz respeito à frota automóvel e instalações, bem como a nível remuneratório.

O dirigente sindical acusou ainda o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, de dizer “meias verdades”, denunciando que o “apregoado” aumento de 20 por cento, é apenas para os elementos em início de carreira, que passam a ganhar 908 euros.